.comment-link {margin-left:.6em;}

segunda-feira, junho 12, 2006

integrados e apocalípticos

Mais uma professora agredida, desta vez por familiares de um aluno, o que levou ao encerramento da Escola Básica do 1º ciclo de São Gonçalo, no Lumiar, em Lisboa.

A alegada vitimização dos professores não esconde o facto de haver professores efectivamente vítimas, desde logo de agressões, faltas de respeito e ameaças.

É tão fácil generalizar (as escolas são inseguras) como argumentar de forma demagógica: Qual é o problema? Mais de 90 por cento das escolas não tem problemas graves.

É tão fácil (conveniente?) ver a coisa de forma isolada, desligada do conjunto.

Também é tão fácil (oh!, se é) procurar soluções do lado securitário - os serviços de segurança são uma das poucas actividades económicas com uma alta taxa de crescimento.

A visão de cada problema por si e em si é óptima para fazer títulos de jornais.

Lembramo-nos do arrastão na praia, dos assaltos nos transportes públicos (comboios, autocarros, metro), nos centros comerciais, nas ruas, nas bombas de gasolina, ... nos espaços públicos não guardados, em geral. É a lógica do grupo, do gang, da afirmação do poder (que se tem, que se arranja).

Podem-se pôr - já se puseram, em boa verdade - câmaras mais ou menos ocultas nos vários transportes públicos, nos muitos espaços públicos, nos diversos centros comerciais, nas imensas ruas e avenidas.

Mas do que se fala e trata é sempre de pessoas desenraízadas, desocupadas, socialmente invísíveis e/ou inúteis.

O que responde a sociedade? Refugia-se (prende-se?) em condomínios fechados, murados, guardados - foge dos espaços públicos, privatizando/restringindo/virtualizando o espaço socialmente útil.

No news - é a velha lógica conhecida da bantustização, do apartheid, da separação, da construção de muros, da policialização das fronteiras, da criação de espaços seguros protegidos das hordas de deserdados.

Entretanto, dentro das fronteiras protegidas os colarinhos brancos vão-se sujando, com um impacto social muito maior do que a acção dos sans-cullotes, mas com muito menos realce mediático.

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Link to ClockLink.com