.comment-link {margin-left:.6em;}

quinta-feira, setembro 28, 2006

Mais um dia...

... mais 18.000 crianças mortas.

Business as usual.

A comunidade internacional no seu melhor.

Claro que os cretinos são as crianças sobreviventes, que vêem o seu QI reduzido como consequência da alimentação inexistente ou deficiente.

quarta-feira, setembro 27, 2006

Corrupção (29)

O combate à corrupção na Polícia Judiciária foi reforçado, na sequência de uma reestruturação da Direcção Central de Investigação da Corrupção e Criminalidade Económica e Financeira (DCICCEF), determinada pela actual direcção e que tem em vista a especialização da investigação, soube o JN.

Carlos Varela, no JN.

Onde páram as elites (85)?

O relatório sobre competitividade do Fórum Económico Mundial é uma vergonha para os gestores e empresários portugueses (...)

Helena Garrido, no DN.

terça-feira, setembro 26, 2006

Energia: Visto e revisto

Vai por aí um grande entusiasmo com o biodiesel.

Agora é a ONU (*) a promover algumas fontes alternativas aos hidrocarbonetos.

Muito bem.

Iremos assistir à reedição da disputa pela terra?

De um lado os homens com o gado ovino, do outro os homens sem o gado ovino.
De um lado os homens com o gado bovino, do outro os homens sem o gado bovino.
De um lado os homens que querem alimentar os automóveis, do outro os homens que têm outras prioridades.

Como vai ser?

Mais do que nunca, Mark Twain está actual: Buy land, they're not making it anymore.


(*) 25 September 2006 – United Nations efforts to promote bio-energy sources such as sugar cane or sunflower seeds to replace fossil fuels like petroleum, thus reducing poverty while producing clean, low-cost power, gained new momentum today with the inauguration of the Secretariat of the Global Bioenergy Partnership (GBEP).

Curiosidade

Será que logo pela manhã terei outra meia dúzia de manchetes iguais, ou todas sobre o mesmo tema, com os jornais a dizerem que tiveram acesso àquela informação, como ontem?

Como é que o fizeram?

Ter-se-ão encontrado no mesmo sítio, onde tiveram acesso à coisa?

A coisa caiu-lhes nas redacções com promessas de exclusivo?

É que o que se passou ontem é dificil de se voltar a repetir. É estilo seis horas, seis minutos e seis segundos de seis de Junho de 2006, que se escreve 060606060606 - nunca mais se escreve.

Estou curioso.

segunda-feira, setembro 25, 2006

Função Pública na imprensa

UM

As despesas com funcionários públicos absorvem perto de 61 por cento dos impostos directos e indirectos pagos pelos portugueses. Um valor que ascende aos 22 mil milhões de euros e que representa 15 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), a riqueza anual gerada pelo País. Esta é a conclusão de um relatório da Comissão de Revisão do Sistema de Carreiras e Remunerações a que o CM teve acesso.

DOIS

A administração pública portuguesa destaca-se na União Europeia (UE) pelo peso dos contratos vitalícios, ou seja, aqueles que apenas cessam por motivos disciplinares (é o caso português) ou, em alguns países, por razões excepcionais de mau desempenho . Segundo o relatório da Comissão de Revisão do Sistema de Carreiras e Remunerações, hoje entregue aos sindicatos (...)

Texto que sustenta a manchete do DN.

TRÊS

Os aumentos salariais da função pública devem deixar de ser automáticos para passarem a ser diferenciados em função dos resultados do desempenho, “indo de nulos a positivos”. Esta é uma das principais recomendações constantes do relatório da Comissão de Revisão do Sistema de Carreiras e Remunerações da Administração Pública, a que o Diário Económico teve acesso

QUATRO

Governo quer pôr travão a prémios e suplementos de funcionários públicos

manchete do Jornal de Notícias.

CINCO

O sucesso da reforma da Administração Pública passa necessariamente pela contenção ou até redução do número de efectivos em sectores decisivos como a Educação e Saúde, em especial no pessoal administrativo e auxiliar.
A conclusão consta do relatório da Comissão de Revisão do Sistema de Carreiras e Remunerações (CRSCR), que a agência Lusa teve acesso
(...)

SEIS

Acabar com as progressões automáticas em função da antiguidade; aproximar os regimes de horários, faltas e férias aos do sector privado; generalizar o contrato individual de trabalho e criar tectos máximos para os aumentos salariais, promoções e suplementos remuneratórios. Estas são as principais alterações que a Comissão da Revisão do Sistema de Carreiras e Remunerações propõe no relatório que entregou ao Governo, noticia hoje o Jornal de Negócios.

SETE

Reforma do Estado passa por redução de pessoal da Educação e Saúde
25.09.2006 - 09h23
Os dois sectores prioritários para proceder a cortes na função pública, quer de efectivos quer de despesas, já estão bem definidos. Depois do secretário de Estado da Administração Pública, João Figueiredo, ter sublinhado, recentemente, o peso excessivo dos sectores da Educação e da Saúde, o relatório da comissão encarregue de proceder à revisão do sistema de carreiras - a que o PÚBLICO teve acesso - concretiza a medida, apontando os dois principais alvos: o pessoal administrativo e os auxiliares de acção médica e educativos.

1000

(Este é para o umbigo) E vão mil posts.

Atrasados intelectuais

Conditions in Indonesia’s disaster-ravaged regions of Aceh and Nias are so dire that large numbers of primary school children are suffering from stunted physical growth and retarded intellectual development, according to a new study financed by the United Nations World Food Programme (WFP).

O que vale é que nós continuamos avançados intelectuais.

Deve ser para compensar.

Ambiente, inteligência e egoísmo

A moda dos filmes sobre ambiente, de que o de Al Gore é claramente O Filme, evidencia a miséria irracional e entrópica a que nos condenam as, eufemisticamente designadas, externalidades das actividades empresariais. Mas também se pode acrescentar a passividade e o comodismo do Homem das sociedades actuais.

É o predomínio do short-termism , da lógica individualista, egoísta, à custa da viabilidade colectiva no longo prazo, que se está a revelar para alguns como demasiado curto (vide New Orleans).

Alguém escrevia há dias nos jornais que a Humanidade já tinha atingido um tal patamar de conhecimento técnico que se podia permitir a resolução dos problemas que a afectavam.

O Raul Solnado dizia que tinha uma prima que gostava de dizer "Pois". Eu também.

Ou se muda voluntariamente, ou a mudança impõe-se por ela própria. Mas que há mudança lá isso haverá. Aliás, está a haver.

Como parecem ridículos os jogos florais dos artistas que ocupam a cena mediática, centrados no seu umbigo, envolvidos em magnas polémicas da treta, insensíveis aos reais problemas, os que têm a ver com a sobrevivência da espécie ...

Como sempre, o essencial passa-se fora do palco.

Darfur

Azar de quem lá está a sofrer - e não pode escapar

Despreocupação de quem pode intervir - e não o faz.

Cinismo utilitarista de quem beneficia com a situação - e se trata à vontade, imune e impune.

Impotência de quem assiste - e mais não pode fazer (ver ONU e Guterres).

Mais um povo dispensável na Comunidade Internacional.

Foi você que falou em Direito Internacional?

Iraque: Mulheres

Quando os mortos norte-americanos no Iraque se aproximam dos 3.000, que consequências terão as mortes, pouco realçadas, dos soldados mulheres, que já vão em quase sete dezenas?

(pergunta baseada em artigo do NYT)

Iraque

Spy Agencies Say Iraq War Worsens Terrorism Threat

No The New York Times.

sábado, setembro 23, 2006

Corrupção (28)

Interpol to create international anti-corruption academy.

sexta-feira, setembro 08, 2006

Conferência de Berlim actualizada?

Estar-se-á a assistir a uma actualização da Conferência de Berlim?

Mas agora as potências chamam-se China, que se estreia nestas andanças, e Federação Russa, que regressa.

As potências tradicionais estão a ver as coutadas mais disputadas.

A piada é que são as potências velhas que financiam a expansão das novas.

Ironias do comércio (e da política) internacional.

Droga (39)

Sweden’s drug control policies model for other States – UN official.

Ainda não li o relatório, mas estou curioso.

domingo, setembro 03, 2006

Futebol (5): Leitura recomendada (bis)


Corrupção (27)

After nearly two decades of research, advocacy and reform, why is corruption still such a huge problem?

Droga (38)

According to UNODC's annual survey, a record 165,000 hectares were under opium cultivation in 2006, a 59 per cent gain over 2005.(...)
“The political, military and economic investments by coalition countries are not having much visible impact on drug cultivation,”
(...)
“As a result, Afghan opium is fuelling insurgency in western Asia, feeding international mafias and causing a hundred thousand deaths from overdoses every year.”

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Link to ClockLink.com